quarta-feira, 1 de maio de 2013

Meu cãozinho


Homenagem feita a este cãozinho que por 15 anos 
alegrou as nossas vidas.


Eu tenho um cãozinho
que me deixa preocupado:
só vive fazendo bagunça.
É um cãozinho danado!

No outro dia, vejam só,
se meteu em confusão.
Furou a bola novinha 
do filho do Seu João.

Depois rasgou  a almofada
preferida da vovó.
Levou uma grande palmada.
Coitadinho! Tive dó.

Mas ele é tão divertido
já sabe brincar de pegar.
Jogo um pauzinho e ele pega...
o problema é soltar!

Também corre atrás de mim
de maneira divertida.
Depois, se estica no chão
para eu coçar sua barriga.

Por ter um nariz marrom
e ser muito "gostosinho",
dei a ele um lindo nome:
ele se chama TODYNHO.



 Denise Almeida

Ilustração de Danilo Marques
Esta poesia faz parte do livro ESSA VIDA DE CRIANÇA NÃO É MOLE.