sábado, 5 de maio de 2012

... E ASSIM A HISTÓRIA ACABOU...

É incrível a diferença dos resultados daquilo que se faz com paixão ou simplesmente se "faz".  Digo isso pelo que sinto sobre o efeito que  o ato de contar histórias provoca em minha vida. Acredito que as histórias são moléculas do meu oxigênio - eu respiro histórias e sem elas eu não vivo.  Preciso contar histórias... e não pode ser qualquer história: eu tenho que curti-la, viajar em todo o seu interior e principalmente gostar do desfecho.
Sei que existem vários tipos de escritores e que alguns deixam o final em aberto para que o leitor crie seu próprio final... use sua criatividade,  mas o que eu posso fazer se "eu" acredito que depois que  a história começa o personagem ganha vida e só ele (o autor)  pode ser o senhor do seu destino. Prefiro até interromper uma contação de histórias e perguntar para meninada:
"O que será que vai acontecer agora, gente?"...  mas depois descobrem o destino que foi dado a cada um dos personagens. E as crianças ficam livres para gostar ou não, para ter opinião própria.
Gosto de desafiar as crianças a me contarem o que realmente acharam da história, sem ter medo de dizer que não gostaram... dou um tempo para que elas falem o que sentiram (que sentimentos foram provocados) deixo que elas  me contem como gostariam que fosse "o novo final" se assim o desejarem fazer.
Não gosto de propor o tempo inteiro que mudem o final das histórias... essa atividade pode até ser feita coletivamente uma vez ou outra, mas para mim  é como se pudéssemos pegar uma linda rosa e mudar a forma ou a cor de suas pétalas só para ver como ficariam.  Cada rosa tem a sua beleza.
Contar histórias apenas para cumprir uma rotina na sala de aula sem perceber sua importância real na vida dos pequeninos é como beber uma água sem ter sede... ela desce empurrada e não causa prazer.
Quando a história é bem contada deixa um gosto de quero mais... e é assim que nasce um novo LEITOR apaixonado pelos livros e quem sabe... um novo "contador de histórias"  ou até mesmo um novo escritor. É nisso que eu acredito.


O patinho culpado 
Do que será que ele é acusado?
Será que ele é culpado mesmo?
Será que se arrependeu do que fez? 
Quero saber que história é essa! 
Quero saber como ela vai terminar!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria que deixassem sugestões e comentários, ok?