sábado, 1 de novembro de 2008

O COCHILO DO CROCODILO - Denise Almeida

Olha o que acontece com quem não presta atenção nas orientações da mamãe!


Murilo era um crocodilo,
preguiçoso como ele só.
Não prestava atenção
em nada ao seu redor!

Só pensava em descansar,
em dormir, tirar um cochilo.
Não queria fazer nada,
o danado do crocodilo!

Não guardava suas coisas,
largava tudo espalhado...
e assim perdia tudo.
Era muito desastrado!

Sua mãe, dona Crotilde,
vivia só reclamando:
—Venha logo me ajudar!
Mas ele saía falando:

—Volto já, querida mãe,
espere só um pouquinho,
pois agora estou cansado...
vou dormir um bocadinho!

E sua mãe, com peninha,
adorando a ele mimar,
pensava que seu filhinho
um dia ainda ia mudar!!

Mas dizia preocupada:
—Não esqueça esse refrão
Quem não presta atenção...
Só se mete em confusão!!!

Eis que um dia, como sempre,
só pensando em dormir,
se deitou em uma tábua
na beira do rio Aruí.

Caiu em sono pesado,
sem saber do seu destino,
pois o rio levou a tábua
Com o tal réptil dormindo...

E então sem piedade
Até sua foz o levou!
E depois de muitas horas
O Murilo acordou!

Ai, meu Deus! Que grande susto
levou nosso personagem,
que acordou numa praia
depois da grande viagem!!

Coitado do crocodilo!!
Pra ele foi um horror,
todos que o avistavam
davam gritos de pavor!!

Algumas pessoas perversas
tacavam pedras no bichinho,
pois ninguém desconfiava
que ele era tão bonzinho!!

E então muito assustado,
sem saber o que fazer,
saiu correndo dali,
precisava se esconder!!

Mas, sua mãe preocupada
na Lagoa das Delícias,
resolveu ligar o rádio
para escutar as notícias!!

Ai, que bom! Que boa ideia!
logo, logo, ela ouviu
que um filhote de crocodilo,
Na Praia do Beco surgiu!

“Só pode ser o Murilo!”
Pensou a mãe assustada...
e para Praia do Beco,
se mandou bem apressada!

Chegando lá não foi difícil
encontrar o azarento...
deu uma bronca muito grande
no seu filho desatento!

Voltaram então para casa
Fugindo do povaréu!
E disse o Murilo à sua mãe:
—Quase fui pro beleléu!!!

E por ser tão dorminhoco
eu fui muito desatento.
Quase morro apedrejado
e por isso eu lamento.

Prometo agora mãezinha,
depois de tudo acabado...
Vou ser muito diferente.
Vou ser mais ajuizado!

E assim dona Crotilde,
como se pode esperar,
não mima mais seu filho
e o põe pra trabalhar!

E como todos já sabem...
Ser desatento não é bom!
E nesse dia o Murilo
aprendeu essa lição!



RJ: Denise Almeida da Silva, 2005
Ilustrador: Sandro Lopes

Esta história faz parte do livro QUEM NÃO PRESTA ATENÇÃO... SÓ SE METE EM CONFUSÃO! que é uma coletânea de histórias e poemas infantis da autora.

A primeira edição está esgotada.