quinta-feira, 5 de junho de 2014

Mais indicações de livros:

PAULUS:

De Rubens Alves - autor maravilhoso:
O patinho que não aprendeu a voar
Como nasceu a alegria
A árvore e a aranha
 A planície e o abismo

Scipione:
Que raio de professora sou eu?

Indicação de bons livros para atender ao 1° Segmento do Ensino Fundamental

Vc vai ao Salão do livro? Então leve umas dicas:

ÁTICA:
BRUXA ONILDA, A CABRA DO SEU JOAQUIM,  MENTIRAS DE PAULINHO O CASO DOS OVOS

ROCCO:  
Coleção FALA SÉRIO DE TATIANA BELINSKY
ED. MUNDO MIRIM: A VIAGEM DA BOLA

MODERNA:
COMO SE FOSSE DINHEIRO,  A LAGARTIXA QUE VIROU JACARÉ
COLEÇÃO MICO MANECO
DOIS IDIOTAS SENTADOS CADA QUAL NO SEU BARRIL
COLEÇÃO CLÁSSICOS DA LITERATURA INFANTIL:  O BEM COM O BEM SE PAGA (EXCELENTE!) E OUTRAS HISTÓRIAS

PALLAS:
O MENINO LIA E A ESCOLA NÃO SABIA

PAULINAS:
PRETINHA DAS NEVES
7 GIGANTES
A PIABINHA DO RIO DAS VELHAS
A CESTA DE DONA MARICOTA

CIRANDA CULTURAL; (EXCELENTES PREÇOS)
TODOS OS CLÁSSICOS DA LITERATURA INFANTIL
COLEÇÃO LIVRO EM LIBRAS

 FTD:
TODOS OS CLÁSSICOS DA LITERATURA INFANTIL.
A FTD  SEMPRE TEM UMAS PROMOÇÕES MARAVILHOSAS NA FEIRA DO  LIVRO. VALE A PENA IR NELA PRIMEIRO E FAZER SUA AVALIAÇÃO.  

SARAIVA:
O CAPITÃO CUECA
A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS
DIÁRIO DE UM BANANAMUITAS MÃES DE ARIEL

DCL
Para  a Ed infantil:  1, 2, 3, era uma vez

NOVA FRONTEIRA:
O CASO DOS OVOS


ESCALA EDUCACIONAL:
COLEÇÃO ERA UMA VEZ... (Era uma vez um gato xadrez...  e  outros títulos)

Obs: Meus livros não estão à venda no Salão do livro.

BOAS COMPRAS!





segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Visita a E. M. Halfed no turno da tarde.


É um prazer muito grande visitar as escolas apresentando os meus livros para as crianças e contando a história de "como eles nasceram". 






O momento da contação de histórias é o que  mais prende a tenção das crianças.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

A INTERATIVIDADE DAS CRIANÇAS NA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

Leia atentamente a história que você irá contar e tente encontrar momentos em você poderá inserir perguntas que provoquem a participação das crianças neste momento mágico, mas cuidado: perguntas muito abertas oportunizam vários comentários das crianças durante a história e desta forma perde-se o foco. Então o que perguntar??? Pode-se fazer perguntas do tipo "E vocês sabem qual era a cor do vestido da princesa? Respostas possíveis: sim, não, nomes de várias cores... e de repente você interrompe entusiasmada dizendo: AZUL! Isso mesmo, você acertou!  E continue a contar sua história... prendendo a tenção da criança novamente.

A história da Dona Baratinha é ótima para oportunizar a participação das crianças. Combine, antes de começar a história, que elas "te ajudarão"   fazendo a voz dos animais.



Contos clássicos como CHAPEUZINHO VERMELHO,  BRANCA DE NEVE  E OS SETE ANÕES, OS TRÊS PORQUINHOS estão recheados de gostosas musiquinhas que já são conhecidas pelas crianças.  Que tal  convidar as crianças para cantá-las?

Se exercite: conte sua história  em casa  marcando o tempo que você demora para contá-la, antes de de se arriscar num público misto de crianças, pois algumas não conseguem se concentrar numa mesma atividade por muito tempo.

Com o livro nas mãos, faça perguntas antes de "entregar" toda a história...

Exemplo: Se você vai contar  A MARGARIDA INSATISFEITA destaque a palavra INSATISFEITA como o contrário de SATISFEITA e pergunte se elas acham que todas as pessoas do mundo estão satisfeitas do jeitinho que elas são... conte com voz de quem conta um segredo que a margarida desta história tinha vontade de deixar de ser uma flor...


Ao mostrar a capa do livro A CAUDA DO CACO   (Editora Ciranda Cultural ) para uma turma de educação infantil resolvi perguntar (sem ler o titulo do livro) se eles imaginavam porque o porquinho deste livro estava triste e as respostas foram muito interessantes:
"Porque ele não tem amiguinhos".
"Porque o pai dele bateu nele".
"Porque ninguém quer brincar com ele".
Porque a mãe dele morreu"
"Porque ele está perdido"...
E as crianças falam como se tivessem certeza de suas respostas!  Este é um momento que se pode deixar a criança falar bastante pois, na minha concepção, se ela tiver a oportunidade de se soltar um pouco antes da história, terá mais atenção para ouvi-la.

VIDA FELIZ Associação de atendimento, apoio, valorização e orientação à Terceira idade.


Quero me aprimorar como pessoa, aprender um pouco mais e poder levar mensagens de entusiasmo aonde eu for, contribuir socialmente com minhas habilidades de contadora de histórias e escritora de literatura infantil e mostrar  que nos tornamos pessoas melhores quando não deixamos de sonhar e nem desistimos de realizar pequenos sonhos... um de cada vez.



Conheça a Associação VIDA FELIZ e sua Biblioteca comunitária:
http://www.vidafelizrj.org/Concursopoesia.htm



VISITANDO A E. M. GEORGE WASHINGTON




Contação de histórias no ABRIGO MINHA CASA




Conheça o trabalho realizado no ABRIGO MINHA CASA:





quarta-feira, 22 de maio de 2013

Educadores Multiplicadores: História com Mídias

Educadores Multiplicadores: História com Mídias: Multiplicador História com Mídias (Links) Títulos das postagens:                     (151º blog publicado) ( Texto ) Cruzada ...

Adorei esta BLOG que vem cheio de dicas e sugestões para quem quer ensinar com prazer. Parabéns!

sábado, 4 de maio de 2013

Uma grande escola para quem quem quer ser contador de histórias



“Que tal estimular os alunos a contar histórias? Além de ser um exercício de socialização, a criança estará desenvolvendo aptidões importantes, como se expressar perante um grupo de pessoas com desenvoltura e domínio de espaço. Ao mesmo tempo estará entrando em contato com seus afetos, pois ao dar forma e expressão aos sentimentos contidos no texto ela aprenderá a lidar com os seus, e tudo isto leva, consequentemente, a uma ampliação dos seus recursos internos e a um amadurecimento psicológico”.  
Busatto, Cleo. 2003 - pag. 40


Este livro é guardado com muito carinho. Contém grandes segredos de um bom contador de histórias. Sou apaixonada por esta obra de Cléo Busatto.




quarta-feira, 1 de maio de 2013

Meu cãozinho



Eu tenho um cãozinho
que me deixa preocupado:
só vive fazendo bagunça.
É um cãozinho danado!

No outro dia, vejam só,
se meteu em confusão.
Furou a bola novinha 
do filho do Seu João.

Depois rasgou  a almofada
preferida da vovó.
Levou uma grande palmada.
Coitadinho! Tive dó.

Mas ele é tão divertido
já sabe brincar de pegar.
Jogo um pauzinho e ele pega...
o problema é soltar!

Também corre atrás de mim
de maneira divertida.
Depois, se estica no chão
para eu coçar sua barriga.

Por ter um nariz marrom
e ser muito "gostosinho",
dei a ele um lindo nome:
ele se chama TODYNHO.

 Denise Almeida

Esta poesia faz parte do livro ESSA VIDA DE CRIANÇA NÃO É MOLE.

Contação de história - O Vestido Azul - Fundação Educar DPaschoal


Fundação Educar DPaschoal (2010)

Conheça os projetos sociais da FUNDAÇÃO EDUCAR DPASCHOAL
Receba doação de livros para trabalhar com suas crianças.  Visite o site para saber como.

LINDO E FÁCIL DE FAZER COM AS CRIANÇAS


domingo, 16 de dezembro de 2012

Atividade prática para o cantinho de leitura ou para uma exposição

Conte uma história bem agradáveel de maneira que o tema dê abertura para estimular a  reflexão das crianças. Exemplo: Li o livro A ÁRVORE GENEROSA  e conversamos sobre o que é ser generoso.

Em casa dobrei várias folhas de papel ofício salmão ao meio e depois fui colando as costas de meia folha com a da metade da folha seguinte  - formando um livrinho "em branco" - desta forma as folhas ficam duplas (mais firmes) .
Em meu armário tenho centenas de folhas de papel ofício coloridas cortada em quatro na guilhotina e guardadas em saquinhos plásticos de acordo com a cor.
Pronto. Dou um quarto de folha para cada crianças e  depois de discutirmos sobre a generosidade, proponho a eles que completem a frase "Ser generoso é... e façam um desenho que represente esta  frase.
Posso criar um livrinho simples onde o autor de cada página assina seu nome ou criar um livro senfonado que é muito legal para exposições em feiras literárias.



domingo, 2 de dezembro de 2012

Histórias boas de se contar III - A ÁRVORE GENEROSA

Autor: Shel Silverstein
Editora Cosacnaify

A ÁRVORE GENEROSA é uma história belíssima que, num texto poético, irá levar a criança a refletir sobre a ingratidão X generosidade. Ela fala sobre um menino que amava a árvore e tinha o seu amor correspondido, mas com o tempo ele cresce e volta a procurar a árvore apenas quando precisa de seus favores - quando lhe é conveniente e a árvore sofre por sua ausência. Ao final da leitura algumas crianças se emocionam muito e comparam "este abondono" à algumas cenas vividas em suas famílias.  Este é o momento certo para um debate, para deixar que as crianças façam seus relatos e façam suas comparações com a vida real... Nos dias de hoje é importantíssimo levar as crianças a esta reflexão.
É uma leitura DE-LI-CI-O-SA!
AO FINAL DA LEITURA...
Você poderá propor a crianção de um livrinho onde cada um irá criar uma página ilustrando e completando a frase "Ser generoso é..."
Sai frases graciosas como:
"Ser generoso é cuidar da mãe quando ela for velhinha...
...é emprestar seu brinquedo para o colega...
... doar as coisas que não usa mais para os pobres...

Se emocione com a leitura - deixe que as crianças percebam seu lado frágil... elas se identificam com você.  Boa leitura.



sábado, 1 de dezembro de 2012

Histórias boas de se contar II

Bruxa, Bruxa, Venha à Minha Festa, de Arden Druce
(Editora Brinque-Book)

Imagem Produto

Hoje quero falar sobre  os vilões das histórias: as crianças adoram!!! Você que não conhece o livro BRUXA, BRUXA VENHA À MINHA FESTA pode estar pensando: "Meu Deus, que bruxa horrível... as crianças vão chorar, sair correndo quando virem a capa deste livro!  Se enganam! Elas amam.  Criança adora suspense, gosta do vilão porque sabe que ele acaba "levando a pior no final da história" e elas adoram essa idéia.  Sabe quem mais gosta de ouvir a leitura deste livro? As turmas de Educação infantil.
Este livro é maravilhoso, pois o texto se repete e há uma interatividade da criança com as imagens.
Veja a sinopse:
"Uma garota pede para que toda a sorte de seres assustadores compareça a sua festa. E lá vão Bruxa, Gato, Espantalho, Coruja, Árvore, Duende, Dragão, Pirata, Tubarão, Cobra, Unicórnio, Fantasma, Babuíno, Lobo e... epa! Chapeuzinho Vermelho? Uma história diferente ...

No final as crianças têm uma enorme surpresa.
Leia "abusando da variedade do timbre de sua voz"... mantenha um ritmo, deixe que eles façam a interatividade tentando descobrir qual será o próximo personagem a ser convidado... Você contará essa história mais de mil vezes à pedido da meninada.
Depois escrevam (coletivamente) um ENORME CONVITE  PARA CRIANÇAS DAS OUTRAS TURMAS SENTAREM NA SUA SALA DE AULA (ou num gramado) para ouvirem a história também.

"Papo literário":
Quem você convidaria para sua festa? Quem você NÃO  convidaria para sua festa?  As crianças poderão responder oralmente justificando sua escolha.
Ou.. você poderá propor recortes de fotos de celebridades que participarão de sua festa imaginária... Invente. Faça a aula ser divertida. Curta a criatividade de suas crianças.
Depois das brincadeiras vocês podem registrar "como foi o dia de hoje" no caderno mágico (caderno de produção textual)...

Na internet o preço deste livro vestá variando hoje (dez. 2012) de 27 à 41 reais. 

Boa leitura! E, sempre que puder, divirta-se!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Visita à Escola Municipal Halfeld


      Me emociono muito toda vez que visito uma escola para contar histórias e apresentar meus livros. Fico pensando nas palavras de carinho que recebo das crianças, nos olhinhos atentos de encantamento de cada um deles. É por acreditar na  importância deste encontro que dou continuidade a esse trabalho...  Estes momentos são únicos e inesquecíveis.


























segunda-feira, 16 de julho de 2012

Histórias boas de se contar

Bem,  como professora de Sala de leitura preciso de diversos tipos de textos para trabalhar na Roda de leitura. Minha escola pertence à rede Municipal e atende turmas de Educação Infantil, 1° ao 5° Ano, Projeto Acelera, Classes Especiais e PEJA.  Dependendo dos meus objetivos ou da faixa etária para qual uma leitura será destinada, posso ter um  bocado de dificuldades em "encantar" os meus ouvintes.
Procuro trabalhar de maneira lúdica, pois é claro que assim o momento é mais agradável. Já fiz de tudo para agradar meus alunos (sejam crianças ou adultos do PEJA). Desde Chá com poesia até dramatização de atendimento hospitalar (onde as crianças eram enfermeiros, médicos e pacientes "hilários"- revezando os papéis) para trabalhar com o receituário e bula. Eles adoraram!
Mas quero falar primeiramente aqui sobre os livros de histórias. Encontrar  histórias interessantes que prendam atenção das crianças ou tenham um "algo mais" é difícil. Algumas delas têm um excelente enredo, mas são grandes demais para se contar numa roda de leitura; outras são pequenas  demais e sem atrativos.
Para falar a verdade, alguns autores subestimam a inteligência das crianças e produzem histórias que nem é bom tentar contar porque no final da leitura (e algumas vezes durante a mesma) é um "rio de reclamações":
Mas que história boba, tia! - é só o que eu escuto.
Nesse momento permito que as crianças exerçam o direito de mostrar sua opinião. Se for durante a história, peço que deixem apenas que eu termine de contar para conversarmos.
Acho que vamos ter muito que conversar sobre esse tema. Vou contar com sua ajuda para que bons livros sejam indicados aqui, ok?
Vou começar com um livro que me deu oportunidade de falar de algo muito importante:  o carinho que podemos dar a um amigo nas horas que ele precisa acompanhado de um gostoso abraço. As ilustrações feitas por Tim Warnes são lindas e o autor é Steve Smallman. O livro foi publicado pela Ciranda Cultural. O nome do livro?   O  ABRAÇO DE ALFREDO


Esta história nos fala de um brinquedo novo que chega quarto e irá tentar descobrir "para que ele serve"...  
Não precisamos criar uma dinâmica para cada livro que lemos. A história já basta por si mesma, mas quando o livro nos oportuniza uma gostosa brincadeira... Por que não???
A brincadeira que fiz ao final desta história foi  inspirada no "Coelhinho na toca 1, 2, 3". 
Regra: Ao meu comando, toda vez que minha contagem chegar no 3, as crianças deverão escolher um amiguinho ou amiguinha para abraçar com carinho. Essa contagem pode ser feita por uma criança.
Aconteceram várias situações deliciosas e divertidas - até um menininho (EI) que tinha dificuldades de se envolver com os coleguinhas se soltou nesta brincadeira e fez novas amizades.
Trabalhei este livro com as turmas de Educação Infantil e do 1° Ano.


E assim essa história acabou (por hoje):  "Entrou por uma porta, saiu pela outra - quem quiser que conte outra! E quem gostou faz o quê???  Bate palmas!

Se deixar um comentário vou saber a sua opinião ou se desejar...  DEIXE AQUI A SUA EXPERIÊNCIA.

sábado, 5 de maio de 2012

... E ASSIM A HISTÓRIA ACABOU...

É incrível a diferença dos resultados daquilo que se faz com paixão ou simplesmente se "faz".  Digo isso pelo que sinto sobre o efeito que  o ato de contar histórias provoca em minha vida. Acredito que as histórias são moléculas do meu oxigênio - eu respiro histórias e sem elas eu não vivo.  Preciso contar histórias... e não pode ser qualquer história: eu tenho que curti-la, viajar em todo o seu interior e principalmente gostar do desfecho.
Sei que existem vários tipos de escritores e que alguns deixam o final em aberto para que o leitor crie seu próprio final... use sua criatividade,  mas o que eu posso fazer se "eu" acredito que depois que  a história começa o personagem ganha vida e só ele pode ser o senhor do seu destino.
Gosto de desafiar as crianças a me contarem o que realmente acharam da história, sem ter medo de dizer que não gostaram... dou um tempo para que elas falem o que sentiram (que sentimentos foram provocados) espero que elas  me contem como gostariam que fosse "o novo final" se assim o desejarem fazer.
Não gosto de propor o tempo inteiro que mudem o final das histórias... é como se pudéssemos pegar uma linda rosa e mudar a forma ou a cor de suas pétalas só para ver como ficariam.  Cada rosa tem a sua beleza.
Contar histórias apenas para cumprir uma rotina na sala de aula sem perceber sua importância real na vida dos pequeninos é como beber uma água sem ter sede, ela desce empurrada e não causa prazer.
Quando a história é bem contada deixa um gosto de quero mais... e é assim que nasce um novo LEITOR apaixonado pelos livros e quem sabe... um novo "contador de histórias"  ou até mesmo um novo escritor. É nisso que eu acredito.

Então é isso!!! Falei o que sinto.